20 de março de 2017

JESUS: NOSSO HEROI!

Quem nunca colocou sobre si uma toalha para se parecer com seu super herói favorito? Acho que a maioria de nós, os heróis fazem parte hoje da nossa história, as gerações atuais admiram heróis do passados e cria herois mais fortes e imbatíveis, com poderes que transcendem a natureza humana; como super força, visão de raio-x, telepatias e etc. Mas mesmo com tantos poderes alguém sempre acha um ponto fraco, talvez por ser criados por seres fracos e imperfeito, eu sempre admirei muitos "herois", mas com o passar do tempo tive o prazer de conhecer um "herói" de verdade, esse título não é capaz de descrever seu real poder e habilidades. Esse herói é conhecido por muitos, mas amigo de poucos, Ele é Jesus, sua capa foi à humildade seu grande poder o amor. Ele foi um herói diferente, não era admirado, não era amado, poucos se deu a conhecer quem ele era, não tinha identidade secreta era tão transparente que causava raiva nos seus inimigos que se escondiam por traz da máscara da hipocrisia (Mt: 23.13), Ele não precisava de telepatia conhecia os corações, (Mc: 2.15.8), não precisava de velocidade supersônica sempre chegava na hora mesmo quando todos achavam  que ele estava atrasado (Jo: 11.17- 25), seus passos lentos em meio ao sofrimento não o impediu de chegar no seu objetivo: O Calvário (Jo: 19.17), não tinha uma mega força mas suportou um cruz pesada que nem era sua (Jo: 19.17), meu herói não tinha uma voz sônica ensurdecedora, mas deu um dos mais lindos brados; PAI PERDOA-LHES,  ELES NÃO SABEM O QUE FAZEM. (Lc: 23.34), Agora o mais incrível do meu heroi é: Ele não tem fraqueza nem ponto fraco, embora tenha sido morto, realizou o maior salvamento da História da humanidade e venceu a morte, ele poderia ter escolhido não morrer, mas escolheu dar sua vida (Jo:10.18). Queriam pegar ele pela força da lei, Ele venceu a lei  (Jo: 8. 5, 7), foi tentado  mas foi inútil usou armas especiais, jejum, oração e a palavra. (Mt: 4.4,11), mataram ele achando que a morte o  espírito mais poderoso entre os mortais ia o destruir (1Co:15.26), sendo que Ele venceu por duas vezes: quando deu ordens sobre ela mudando seu curso natural (Lc: 7.14), e quando por fim deixou ser levado como mortal e voltando não mas como herói mas como Deus poderoso, controlador de tudo e soberano (Mt: 28.18), não só venceu como nos deu a capacidade por Ele de vencermos também (Rm 8:28,29). Ele não é ficção nem tão pouco uma fantasia seu ato heroico alcançou todos no passado, presente e futuro (Ef 1.4). Ele disse: vou nos preparar uma morada. (Jo 14.2), não no seu quartel general, mas num lugar de paz e quietude que conhecemos como CÉU.


Por: Paulo Sérgio Meira (Colunista do Blog).

Um comentário:

sergio rodrigues disse...

José Gerlam, meu amado que capa linda o senhor é fera.Deus abençoe

Seguidores

Wikipedia

Resultados da pesquisa